Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma filha Atrapalhada

Lembram-se da pequena Bá do blog "Crónicas de uma mãe atrapalhada." Pois,ela cresceu! E agora exigiu que existisse também a sua versão de filha num blog a quatro mãos.

Crónicas de uma filha Atrapalhada

Lembram-se da pequena Bá do blog "Crónicas de uma mãe atrapalhada." Pois,ela cresceu! E agora exigiu que existisse também a sua versão de filha num blog a quatro mãos.

Cumplicidade de irmãos

Palavras para quê? Se olho para estas imagens e elas gritam cumplicidade e amor de irmãos.

O nosso jantar

fam.png

Jantar para nós é mais que uma refeição. É um espaço de partilha de como correram os nossos dias. É a única refeição durante a semana onde nos podemos reunir em família. É a altura em que a minha filha estás disposta a falar.  Contam-se histórias, fazem-se desabafos e rimo-nos das tolices do dia a dia.  Durante a semana acaba por ser a refeição mais importante para nós, pois é quando tenho a minha “Tribo” reunida. Só falta ser á volta da fogueira…e também não temos cão

Bullies e Bullying

 bullies.png

 

Isto dos bullies e do Bullying tem muito que se diga. Já para não dizer que basta abrir os nossos canais de televisão e vemos a violência gratuita passar.

            Aliás acho imensa piada ao cuidado que têm em pôr bolinha vermelha nos programas com nu explicito. Mas logo de seguida no intervalo de filmes infantis passam três ou quatro anúncio de séries violentas e de terror.

              Os vídeos de violência no youtube que a maioria das pessoas não se inibe de passar no Facebook tornam-se virais.

        E num mundo onde alunos dão respostas propositadamente disparatadas só para terem direito a protagonismo no programa de um youtuber da moda onde apesar de este já ter vindo a público pedir que não façam continuam…. Tudo isto só lhes dá mais força.

 

   È triste ver a impunidade com que estes seres atuam em algumas escolas porque os  próprios papás dos meninos os apoiam como se de vítimas se tratassem.

 

               Esta é uma realidade quotidiana, onde inclusivamente muitos dos responsáveis das escolas por medo compactuam com certas situações tetando minimizar o dano.  E se forem de outra etnia têm sempre a desculpa que é racismo ou que são discriminados. Quando são os próprios a criarem grupos e a ameaçarem os outros.

           Estas são algumas das realidades a que tenho assistido, e não se faz mais, porque não há meio para se fazer. A lei não permite.

             Sei de um caso em que uma professora foi brutalmente espancada por uma aluna e a preocupação da escola foi abafar o caso muito bem abafadinho.

 

             E depois a escolha às vezes é entre sobreviver e ser sobrevivente.  E o grave é quando as vítimas seguem os bullies porque se sentem ameaçadas e lhes dão poder ao perceberem que estes têm medo.

 

 Já cheguei a ouvir pais a dizerem aos filhos faz o que ele te diz para não te chatearem mais. A proibirem os filhos de testemunharem porque têm medo.

             Ações de sensibilização contra Bullying nas escolas? Têm ideia de quantas e quantas são passadas????. Infelizmente só sensibilizam com este tipo de campanhas as crianças e jovens que não têm prazer em destruir, em humilhar. Os outros riem-se descaradamente na tua cara como se lhes estivesses a passar um filme cómico. 

 

Conheço um caso onde até o psicólogo da escola foi ameaçado e este recusou-se o seguimento da criança por via das contantes ameaças que a família lhe fazia. A mesmíssima criança que os pais fazem crer a toda a gente que não o conheçam que é uma vítima de todos os que o rodeiam, chegou ao cúmulo de gozar com agentes da escola segura  durante uma sessão de sensibilização contra Bullying. E depois eles até têm orgulho em dizer que são Bullies afinal vamos à net aparece o significado de valentões!!!!

  Para mim muito tem que se mudar neste aspeto. Não defendo o regresso a palmatória.  Mas há casos onde a autoridade do professor não pode nem deve ser questionada. E onde as escolas não podem ficar de pés e mãos atados.

As minhas leituras # 2

 E a aproximar-se a Feira do livro, a leitora que há em mim já anda a ver quantos livros de Luis Sepúlveda tenho em atraso. Pois, é que eu sou uma fã confessa de Sepúllveda e embora adore tudo o que leia dele, continuo a ter uma predileção por um livrinho em particular.

 

dks.jpg

A primeira vez que li este livro foi emprestado pelo meu mais que tudo nos inícios de nos conhecermos

. A escrita fluída e simples de Sepúlveda que é sem dúvida um exímio contador de histórias cativou-me.

Como o título diz, é um diário de um Killer sentimental,  a história é-nos contada pela voz deste personagens que nos dá a conhecer as emoções conflituosas com que se debate ao encontrar  uma antiga paixão de outros tempos, ao lado do  seu alvo. 

Delicioso, irónico, cómico e surpreendente são as palavras que para mim o descrevem. Continuo a achar o ato de ler algo muito pessoal, mas acho que é dos livros e dos autores que

Sem dúvida vale a pena conhecer.

Às vezes parece que estamos trocadas...

A garota vai-se vestir e vem-me mostrar a roupa. Tem umas calças de ganga um top

de umbigo à mostra. Uma camisa por cima a fazer as vezes do casaco. Olho para ela e digo:

-  Estás gira. Agora sabes o que te ficava bem? Um piercing no umbigo.

A reação dela é imediata:

- Mais furos não! Já furei as orelhas, já chega. O meu corpo não foi feito para ser espicaçado.

Eu- Ai filha às vezes pareces uma velha…

 

 Era suposto ser ela a querer e eu a reclamar, certo????

 imagem retirada da net

Dia mãe é sempre que os filhos queiram!

doente.gif

 

No dia mãe a minha primogénita brindou-me com o pequeno almoço na cama além das prendas da praxe, se bem que ela sabe que para mim , os mimos são prendas que cheguem.

Sábado, andando à luta com a sinusite desde quinta, cedo a tomar um medicamento para a dor de cabeça que insistia em não passar.

     Cansaço acumulado ou efeito dos medicamentos, deu-me sonolência, aviso a filha que preciso descansar. O filho vem-se aninhar ao pé de mim como se sentisse que a mãe precisava de mimo. Fica a ver os seus desenhos ao meu lado.

   Entretanto a filha diz-me que está com fome, digo-lhe que vou fazer o almoço. Ela diz que não, ela faz, também era só grelhar uns hambúrgueres, que o esparguete já estava feito.

Insisto, ela também insiste. Estou cansada, tenho sono, cedo.

  Ela chama o irmão e vai dar-lhe de comer. Pouco tempo depois aparece ao pé de mim com o almoço num tabuleiro. Agradeço e gracejo que o dia da mãe já passou. Ela responde, “Hoje também é. Estás cansada.” 

O almoço sabe-me ao mais faustoso banquete divinal num restaurante de luxo e que provavelmente, não teria aquele sabor especial do amor.

As minhas leituras # 1

Ler é algo que faz parte de mim. Não me pretendo arvorar em crítica literária e nem fazer disto um blog de livros, mas provavelmente será uma rubrica.  Já li tantos livros e de estilos tão diferentes que talvez as minhas partilhas possam ir de encontro a gostos diversificados como o meu.  Há pouco tempo recordei-me de um que relata uma história de amor bastante origina e incomum:

“Um casamento Feliz” de Heinz Konsalik.

Confesso que já li outros livros deste autor e não gostei, mas este, adorei.

Conta-nos a história de um casamento feliz (até aqui era óbvio), a partir do seu fim, ou seja, o Livro começa no funeral do marido.  À mão da esposa chega um “diário” onde ela descobre segredos que poderiam ter alterado o seu casamento. Para quem gosta de bom romances e boas histórias. Creio que será um livro a não perder.

Parabéns a Israel

Não sendo das minhas preferidas distinguiu-se pela diferença. "Não sou o teu brinquedo" pode tornar-se uma mensagem poderosa para muitas mulheres e  não só. Creio que mais que a música ou canção a, ganhou a mensagem ou as várias mensagens, como "olhem para mim eu sou criatura linda, não me importa o que os pregadores modernos dizem" ( auto-estima). ou " vocês esqueceram-se de como se brinca". Poderia ficar aqui mais tempo a analisar a letra,mas cho que é evidente: ganhou a mensagem da defesa da diferença , da diversidade, da liberadade individual. Tudo nesta participação se distinguiu pela diferença: música, cantora, adreços, atuação.  Então parabéns a Israel, mas em termos muiscais gostav mais que tivessem ganho outras.

Pág. 1/2