Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas de uma filha Atrapalhada

Lembram-se da pequena Bá do blog "Crónicas de uma mãe atrapalhada." Pois,ela cresceu! E agora exigiu que existisse também a sua versão de filha num blog a quatro mãos.

Crónicas de uma filha Atrapalhada

Lembram-se da pequena Bá do blog "Crónicas de uma mãe atrapalhada." Pois,ela cresceu! E agora exigiu que existisse também a sua versão de filha num blog a quatro mãos.

desafio de escrita dos pássaros #2.1 "Acho que a coisa não vai correr bem"

Acho que a coisa não vai correr bem

 

 

A reunião tinha terminado mais tarde do que era suposto. Há sempre quem fale mais do que o necessário. Eram horas de jantar.  Um grupinho decidiu ir jantar fora e convidou-me. Respondi que se o Jorge ficasse com os miúdos não haveria problema. Após um pequeno telefonema em que ele confirmou que eu podia ir descansada.

Para não levarmos todos carros, decidimos repartir-nos por três carros à sorte.

 A mim calhou-me ir  no carro do Alfredo com mais um colega e duas colegas, ninguém queria ir à frente, fui eu…

 Ora o Alfredo é o elemento mais jovem da empresa que está a estagiar. Como sei o que é ser a novata  do sítio, sempre que o vejo aflito tento ajudar e orientar. 

E é aqui, que quem não entende isto como o auxílio a um novo colega pensa de outra forma. Facilmente ambos nos apercebemos dos olhares, das risadinhas e das insinuações sem sentido.

Primeiro ele disse-me que “não me queria causar problemas e que se eu quisesse se afastava”. Eu ri-me e disse que não ligasse a quem não tinha nada mais de útil para fazer. Ele sorriu e agradeceu-me.

Desde aí, começámos a brincar um com o outro de propósito atiçando as más línguas e divertindo-nos com a situação. Por tudo isso, que assim que me sentei no lugar ao lado do condutor ele sorriu e sussurrou-me discretamente:

-“Acho que a coisa não vai correr bem!”

Contive uma gargalhada, mas foi impossível não trocarmos um olhar cúmplice.

Atrás iam três colegas  que tinham entrado comigo o João, a Maria e a Ana. O João não era de mexericos , falava com todos, profissional, fazia o seu trabalho, por outro lado a Maria era o jornal de notícias do sítio, as que  não sabia, imaginava-as. Para ajudar, achava que todos os homens da empresa estavam apaixonados por ela, mesmo os  casados, o único que não estava apaixonado por ela era o Alfredo.

A Ana era um daquelas pessoas impossíveis de não gostar, com uma paixão secreta pelo João que este ainda não percebera.

A diferença é que quer o João , quer a Ana não são comprometidos. 

Enfim, tudo estaria bem se a Maria, que todos sabiam que tinha um fraquinho  pelo Alfredo, não estivesse ali, mas ela estava…

 

(continua)

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Alfa 31.01.2020

    Obrigada Imsilva, fazer um conto dependente dos temas "acho que a coisa não vai correr bem" ou vai
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.