Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas de uma filha Atrapalhada

Lembram-se da pequena Bá do blog "Crónicas de uma mãe atrapalhada." Pois,ela cresceu! E agora exigiu que existisse também a sua versão de filha num blog a quatro mãos.

Crónicas de uma filha Atrapalhada

Lembram-se da pequena Bá do blog "Crónicas de uma mãe atrapalhada." Pois,ela cresceu! E agora exigiu que existisse também a sua versão de filha num blog a quatro mãos.

“desafio de escrita dos pássaros #2.5"O desfecho"

Sob o tema"Acordas e tudo o que mais desejavas realizou-se: conta-nos o teu dia"

Hoje apesar de não conseguir cumprir com o horário da publicação quis finalizar a história, por isso dou o crédito de esta história ter sido inspirada pelo desafio.e cumpre as regras .Porque não quis desiludir aqueles que me acompnharam aqui fica o capítulo final da história iniciada no primeiro tema:

"O desfecho"

Fui das primeiras cem a ser acordada.  Como pioneira da empresa tinha uma cláusula de privilégio, de usar o serviço em caso de necessidade gratuitamente,  e pertencer aos primeiros cem a ser acordados. A sensação era como um sonho ou  pesadelo. Após despertarmos enviavam-nos para uma equipa que nos monitorizava, apoiava  e integrava. O primeiro dia foi horrível, só chorava, desejava ter morrido naquele maldito acidente. De que valia estar viva, se ninguém das pessoas que eu amava estavam ????

Aceitei e ainda bem, porque a vida me reservava surpresas e revelações que  jamais imaginaria. Uma médica da equipa, minha descendente,  mostrou-me as cápsulas do tempo e a história da minha família filmada. O Jorge casou com a Ana depois do acidente. Não podia ter escolhido melhor  O romance dela com o João não deu certo. A Ana foi uma mãe maravilhosa para os meus filhos mantendo sempre a minha memória no coração dos meus filhos, que seguiram as minhas pegadas indo trabalhar para a Empresa de Criopreservação. A Ana e Jorge foram muito felizes. Os filmes tinham hologramas que pareciam reais até na interação, pois graças a essa tecnologia todos me abraçaram. Quando os vi, achei que valeu a pena a decisão deles, na morte não teria tido a oportunidade de os abraçar mesmo que virtualmente. Naquele dia acordei e tive  tudo o que desejava rever a minha família, abraçá-los, dizer-lhes que os amava e que jamais os esqueceria, mesmo que  não me ouvissem, vi a Ana repetir isso vezes sem fim aos meus filhos até ao Jorge, ela era uma pessoa linda.  Apesar de não gostar da Maria fiquei triste em saber que morrera, num acidente. Até dela senti falta. Depois ficarmos em coma foi revelado que o Alfredo não era um estagiário, era o médico excêntrico que criara a empresa, após perder a sua mãe para o cancro.

Estava a acabar de ver os filmes quando a porta abriu .Quase morria de emoção. Nunca pensei rever aquele sorriso. Era o Alfredo. Sim ficámos juntos, mas não teríamos ficado em 2020. Eu amava o Jorge e era feliz.        O  Alfredo confessou-me que era apaixonado pela Ana. Mas em 3050 éramos ambos as pessoas de quem mais gostávamos. E esta a minha história  A empresa continua um sucesso, a ciência evolui, mas os vírus também.

 Ah é verdade eu chamo-me Renata, caso não saibam significa: Renascida.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.