Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas de uma filha Atrapalhada

Lembram-se da pequena Bá do blog "Crónicas de uma mãe atrapalhada." Pois,ela cresceu! E agora exigiu que existisse também a sua versão de filha num blog a quatro mãos.

Crónicas de uma filha Atrapalhada

Lembram-se da pequena Bá do blog "Crónicas de uma mãe atrapalhada." Pois,ela cresceu! E agora exigiu que existisse também a sua versão de filha num blog a quatro mãos.

Um lanche com aroma de amor ...

Panquecasfrenteeverso.jpg

Ontem cheguei a casa a precisar de algo, reconfortante, algo que fizesse a casa cheirar a bolos, mas que não tivesse de esperar tanto tempo.  Já há um tempo que andava com vontade de panquecas e gosto imenso da receita de panquecas americanas doces,  que já há uns tempos não faço ,mas que adoro por ser ultra simples, versátil e saborosa.   Então , mudei de roupa  e fui para a cozinha. Reuni os instrumentos e os ingredientes necessários e depois disso em mais ou menos cinco minutos, nem chegou a tanto, tinha a massa pronta.  A sensação e estar a preparar  um lanche diferente, deixou-me feliz.

 A receita é tão simples que a bato sempre à mão, com um batedor de Varas de Silicone.  Enquanto a  bato, gosto da ideia de ser uma bruxinha que está a preparar uma poção de amor. Depois gosto de usar como medida meia concha de sopa generosa  e despejo-a delicadamente no centro da frigideira antiaderente daquelas para ovos estrelados, para descolar melhor, ponho um fiozinho mínimo de óleo no início, deixando a frigideira em lume brando.

 Passada esta fase, só é preciso um pouquinho de amor e paciência, para esperar que a porção da poção, que deitámos no caldeirão, ah desculpem na frigideira, comece a borbulhar um pouquinho , depois da poção estar a terminar de borbulhar, com uma espátula fininha começo a descolá-la do fundo, pego na frigideira e sem hesitação com um movimento certeiro, faço com que a panqueca se vire sozinha no ar e regozijo-me sozinha com a proeza, aha ahaha consegui. Naquele momento, só penso que quero que as panquecas fiquem bonitinhas e saborosas.

Um cheiro reconfortante inunda a casa, é o cheiro do amor, isto é, das panquecas.

Como que atraídos pelo cheiro, os filhos invadem a cozinha. Uma pequena pilha de panquecas começa a crescer no prato.

  O aroma que exala da cozinha, inunda a casa, invade os sentidos e abre o apetite convidando-nos a cometer o pecado da gula.

Provo a primeira, partilho com a filha, que prova  aprova. Está demasiado quente para o filho, separo uma para arrefecer e ela leva-lhe.

 As panquecas fazem tanto sucesso, que me pedem mais, repito a dose.

Deve ser do ingrediente secreto…

 Sim, esse mesmo, o amor. Acho que já vos tinha dito que sou meio bruxinha a cozinhar, não tinha?

Eles, gostaram, eu também. Finalmente chegou a minha vez e delicio-me, às vezes ponho um fio de geleia ou melaço, mas toda a gente as quis simples.

Pois, mas só disseste o ingrediente  secreto ( bem, agora já não é assim tão secreto), e os outros perguntam vocês?

Está bem gosto de partilhar, afinal também partilharam a receita comigo há muitos anos.

Mas aviso já que foi um pouquinho modificada por mim, não resisto.

Aqui fica:

1Chávena e meia de farinha de trigo  ( podem usar integral se preferirem)

1 colher de chá(generosa) de fermento

1 ovo batido

2 colheres e meias de açúcar ( eu usei açúcar amarelo, podem usar de côco ou adoçante se preferirem) 

1 chávena de leite ( poder ser leite de origem vegetal)

1 colher de sopa de óleo ( podem usar uma gordura vegetal, passando a publicidade às vezes gosto de usar Becel líquida,ou óleo de côco)

1 pitada de sal

E não se esqueçam uma dose de amor q.b. para aqueles que vão comer.

Misturar os ingredientes pela ordem indicada e depois  deitar na frigideira previamente preparada.

Por fim esperem que o aroma e o sabor do amor  em forma de panquecas inunde o vosso lar.

Bom apetite.

 

Fotografias by Bá

4 comentários

Comentar post